Coloque seu e-mail para receber atualizações, artigos e dicas!

Não fique 'zikado' com o Zika! Entenda mais sobre ele.


Nos últimos dias muito têm sido falado a respeito do Zika vírus e da microcefalia causada em bebês cujas mães foram contaminadas quando estavam gestantes. Tenho observado desespero por parte das gestantes, informações sem fundamentos, boatos sobre vacinas vencidas... tudo isso tem deixado muita gente sem saber bem o que fazer. Por isso, reuni nesse post informações de fontes confiáveis para trazer, da forma mais simples e clara possível, alguns apontamentos.


- O que é Zika vírus?

O zika é um vírus transmitido pelo Aedes aegypti. Mais de 80% das pessoas infectadas não apresentam sintomas. Os sintomas são manchas vermelhas pelo corpo, febre baixa, coceira leve a intensa e vermelhidão nos olhos. Ainda não há vacina para prevenir contra infecção pelo vírus Zika. Até o momento, não há evidência de que a imunidade conferida pela infecção natural do vírus Zika seja permanente, como acontece no caso da dengue. O vírus zika pode afetar todos os grupos etários e ambos os sexos, por isso é importante adotar as medidas de prevenção ao mosquito.

- Sintomas: 



- O que é Microcefalia?

Microcefalia é o nome dado à condição ocorrida quando o crânio do bebê não atinge o tamanho normal, influenciando no desenvolvimento mental. A alteração pode ser percebida ainda nas primeiras horas de vida por meio da medida do perímetro cefálico (medida da cabeça), que no caso dos recém-nascidos é maior do que 32 cm. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e literatura científica internacional, a microcefalia é uma anomalia em que essa medida do crânio é menor do que o normal, levando em conta o sexo, a idade ou tempo de gestação.

- Tratamento:

Como não há tratamento específico para a microcefalia, o Sistema Único da Saúde (SUS) dispõe de ações de suporte que podem auxiliar no desenvolvimento do bebê e da criança. Como cada criança desenvolve complicações diferentes entre elas respiratórias, neurológicas e motoras o acompanhamento por diferentes especialistas vai depender de suas funções que ficarem comprometidas. Estão disponíveis no SUS serviços de atenção básica, especializados de reabilitação, exame e diagnóstico e serviços hospitalares, além de órteses e próteses aos casos em que se aplicar. É comprovado que tratamentos e estimulações realizadas desde os primeiros anos melhoram o desenvolvimento e a qualidade de vida das crianças nessas condições.

- Prevenção:

O combate ao mosquito Aedes aegypti é fundamental para o controle do surto de microcefalia que está ocorrendo no país. As gestantes devem manter portas e janelas fechadas ou teladas, usar calça e camisa de manga comprida e repelentes indicados para o período da gestação. Além disso, evitar contato com pessoas com febre, manchas vermelhas (exantemas) ou infecções.

- Repelente recomendados:

A recomendação é de uso direto na pele à base de DEET (n,n-Dietil-meta-toluamida), Ethyl butylacetylaminopropionate (EBAAP ou IR 3535) e Icaridina. Em crianças entre dois e 12 anos, a concentração dever ser no máximo 10% e a aplicação deve se restringir a três vezes por dia. Concentrações superiores a 10% são permitidas para maiores de 12 anos. A utilização dos repelentes devem respeitar o modo de uso indicado na embalagem de cada um deles.


Voltando a falar dos boatos que surgiram em torno deste tema alarmante, vamos esclarecer alguns de forma mais direta possível: 

Verdadeiro ou Falso:

  • A vacina de rubéola vencida é a causadora da Microcefalia. 
FALSO

Gestantes não devem tomar vacina de rubéola durante a gestação. As vacinas aplicadas durante o período gestacional são: Dt, DTPA, hepatite B e gripe (quando ocorrem campanhas). Não existe qualquer evidência que afirme a relação de vacinas vencidas e microcefalia.


  •  O vírus é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti.
VERDADEIRO

O mosquito aedes aegypti é o transmissor da dangue, zika e chikungunya.


  •  Crianças até 7 anos e idosos sofrem consequências neorológicas do Zika vírus.
FALSO

Até o momento, não há qualquer registro de crianças ou idosos apresentando sintomatologias neurológicas relacionadas ao vírus zika. É importante também esclarecer que, assim como outros vírus, a exemplo de varicela, enterovírus e herpes, o zika poderia causar, em pequeno percentual, complicações clínicas e neurológicas em adultos e crianças, sem distinção de idade.


  •  O Zika vírus pode ser transmitido pelo esperma, saliva e leite materno
FALSO

Foram encontrados traços do vírus no leite materno, saliva e esperma, porém não existe caso confirmado de transmissão do vírus por essas vias. Mães podem continuar amamentando seus bebês sem problemas!



Essas foram as principais informações que consegui reunir baseada nas dúvidas que tenho recebido de inúmeras gestantes e outros clientes que acompanho. Temos que fazer nossa parte pesquisando e transmitindo informações seguras, evitando o pânico, protegendo nossas casas e comunidades contra o mosquito e utilizando repelentes. Vamos fazer nossa parte juntos?!


Fontes: 

Proxima
« Anterior
Anterior
Próximo Post »
0 Comentario